MEDIDAS DE CONTROLE

Posted on

Melhores práticas de manejo do solo promovem a diversificação da microflora habitante do solo, aumentando a eficiência do controle biológico que, por sua vez, contribui para sistemas ecologicamente mais equilibrados.

A manipulação do ambiente e a introdução de antagonistas, tanto no solo quanto nos órgãos de propagação das plantas, podem garantir o controle biológico de fitopatógenos veiculados pelo solo. já foi documentado para o controle de Rhizoctonia solani, Sclerotium rolfsii, Sclerotinia sclerotiorum, Fusarium spp. O arsenal antifúngico de Trichoderma inclui grande variedade de enzimas líticas (exemplo: exoglucanase, endoglucanase, celobioase, celulases, quitinases, glucanases), a maior parte desempenhando um importante papel no controle biológico. Atualmente, um dos métodos mais usados no controle de nematóides é o controle químico, o qual é caro e extremamente prejudical ao meio ambiente. e Paecilomyces lilacinus no controle de M. incognita, assim como os mecanismos utilizados por estes em biotestes realizados in vivo associados a plantas de feijão. Lucon, C. M. M. Trichoderma no controle de doenças de plantas causadas por patógenos de solo. Fungos do gênero Trichoderma encontram-se entre os agentes de controle biológico mais estudados e empregados na produção agrícola mundial. O controle de doenças de plantas é um dos principais objetivos de pesquisa pra a agricultura, estimando-se que mais de 30% da produção mundial sejam perdidos anualmente por problemas fitossanitários. Os fungos fitopatogênicos são de difícil controle por apresentarem um potencial de inóculo muito grande e um poder de destruição elevado, além de apresentarem resistência à diversos fungicidas.

Defesa: Produção, formulação e aplicação de um fungo necrotrófico como herbicida biológico para o controle de buva (Conyza sumatrensis)

  • Decomposição de matéria orgânica (decompositores de lignina, celulose, reciclagem de nutrientes em florestas)
  • Associações ecológicas: Simbiose Mutualista (Liquens (algas) e micorrizas (raízes)) e Parasitismo (micose).

Revisão Bibliográfica O controle de doenças de plantas é o mais importante objetivo prático da fitopatologia.

Sem controle, doenças de plantas podem ocasionar enormes prejuízos, de conseqüências sociais muitas vezes catastróficas, envolvendo a morte de milhares de pessoas, como já aconteceu no passado. (2003), isolaram fungos saprófitos com atividade antagônica a Sclerotinia, incluindo várias linhagens de Trichoderma, que apresentaram uma velocidade de crescimento muito superior e resultados promissores para controle deste patógeno. N a abordagem de controle biológico, doença é mais do que uma íntima interação do patógeno com o hospedeiro influenciada pelo ambiente. Portanto, patógeno, hospedeiro e antagonistas, interagindo num sistema biológico, são os fatores componentes do controle biológico. PRINCIPAIS AGENTES DE CONTROLE BIOLÓGICO A seguir são listados e descritos alguns microrganismos utilizados em controle biológico de doenças de plantas: a) Gliocladium spp. BETTIOL, W. Componentes do Controle biológico de doenças de plantas. In: Controle biológico de doenças de plantas . Aqueles fungos que melhor exploram determinados micro-habitats e competem com sucesso com outros microrganismos, podem se constituir em potentes agentes de controle biológico. O fungo causador dessa doença possui estruturas de resistência chamadas escleródios, que conseguem sobreviver por vários anos no solo, dificultando muito seu controle.

AVALIAÇÃO DO EFEITO FUNGICIDA DE ÓLEOS ESSENCIAIS SOBRE A PRODUÇÃO DE ESPOROS DO FUNGO Fusarium solani

  • Espécie de Trichoderma
  • Fungo antagonista
  • Cultura
  • Condições ambientais (pH, temperatura, disponibilidade de nutrientes)

Estes fungos atuam como agentes de controle biológico, cujas propriedades antagônicas se baseiam na ativação de mecanismos de ação diretos e indiretos.

Recomenda-se também a adoção de medidas para o controle de insetos e roedores, pois geralmente a proliferação dos fungos está associada ao ataque dessas pragas. O tombamento de mudas é umas das doenças mais comuns na produção de mudas do tomateiro, sendo causada principalmente por oomicetos pertencentes ao gênero Pythium e ao fungo Rhizoctonia solani. O controle biológico vem sendo utilizado como medida alternativa para reduzir os danos causados pelo tombamento em mudas. A utilização desse método de controle natural de doenças pode substituir ou complementar a utilização de produtos químicos. é um dos agentes de controle biológico mais utilizados na produção agrícola. no controle do tombamento causado por R. solani e Pythium sp. Foram realizados dois experimentos diferentes, um para testar o controle do tombamento causado por Pythium e outro para o causado por R. solani. No caso do tombamento causado por R. solani, o controle variou de 25,6% a 58,9% (Figura 1). Nos últimos anos, muitos trabalhos foram desenvolvidos relatando o sucesso do controle biológico de doenças de plantas, especificamente com a utilização de Trichoderma sp.

Controle das doenças das espigas

  • Micoses: Frieira, pano branco, impigem, sapinho, candidiase, blastomicose, histoplamose, tinhas;
  • Fornecedores de químicos na produção de antibióticos (penicilina).

Dessa forma, a utilização do controle biológico se tornaria uma tática de controle mais eficaz, principalmente quando realizada em associação às outras medidas de manejo recomendadas.

“Seu modo de ação ocorre de maneiras distintas, dentre elas pelo controle de fungos fitopatogênicos, uma vez que o Trichoderma possui alta competência em colonizar solos e sistemas radiculares. Diversos grupos de microrganismos têm sido selecionados como potentes agentes de controle biológico, incluindo fungos, bactérias e actinomicetos. Já o número de fungos utilizados no controle biológico de fitopatógenos é bem menor do que para bactérias. No caso de controle biológico, são necessárias informações como mecanismos de colonização de raízes, especificidade de hospedeiros, eficiência ecológica, influência de fatores ambientais e genéticos dos sistemas sideróforos e antibióticos. Coletor solar para desinfestação do soloFoto: Eliana de Souza LimaEmbrapa Meio Ambiente Diversos grupos de microrganismos têm sido selecionados como potentes agentes de controle biológico, incluindo fungos, bactérias e actinomicetos. Coletor solar para desinfestação do soloFoto: Eliana de Souza LimaEmbrapa Meio Ambiente Já o número de fungos utilizados no controle biológico de fitopatógenos é bem menor do que para bactérias. 3) Rotação de culturas No caso específico do tombamento causado por , devido à versatilidade ecológica deste fungo, o seu controle torna-se difícil através da rotação de culturas. Potencial de rizobactérias no controle de Fusarium solani (Mart.) Além de tricoderma, outras espécies de fungos, como Paecilomyces spp., têm se mostrado efetivos no controle biológico de nematoides.

A produtividade da jabuticabeira depende do manejo adotado pelo fruticultor, assim como dos tratos culturais e do controle de doenças – muitas delas fúngicas

no controle biológico de doenças de plantas.

In: BETTIOL, W. Controle biológico de doenças de plantas.